IMG_3630
IMG_3639

Sandra Gonçalves

Suzano – SP
50 anos
Professora de português, inglês, linguística, piano; especialista de simbolismo; mídias sociais e uso de línguas.

Eu não tenho câncer, é o câncer que me tem. Azar dele, porque eu sou teimosa. Notei um carocinho, fui num médico, ele disse que era leite empedrado. Minha filha caçula na época já tinha dez anos, mas ele tinha a cabeça branquinha, como eu ia duvidar dele? Não fiz o exame que ele pediu, difícil marcar, e eu trabalhando tanto. Voltei outras duas vezes, o caroço maior, disseram ser coisa da minha cabeça, e saí sem ser examinada. Só na quarta vez, indo medir pressão, a enfermeira-chefe ouviu minha queixa e encaminhou para o médico, e ele para o mastologista.

Faço todo o tratamento no Pérola Byington: cirurgia, quimio e radioterapia. A minha oncologista é a melhor parceria que eu já tive na vida. Ela não trata um prontuário, ela trata a Sandra. Ela quer saber como eu estou, porque sabe que não sou a minha condição clínica. E ela me explica os prós e contras para decidirmos juntas o protocolo.

Quando ela me deu a notícia da metástase, eu perguntei se ia cair o cabelo, ela disse não. E se eu ia poder continuar andando de salto alto. Ela disse que sim. Então eu disse para ela parar de chorar, que estava tudo bem. E quando o cabelo caísse, eu faria um outro ensaio, careca.

Em 2017 eu participei de um concurso e fiz uma redação, o tema era a minha relação com a fotografia, e eu dizia que eu estava registrando o meu dia a dia, meu cabelo voltando, e me gostando. O prêmio era um ensaio fotográfico… e eu ganhei. Foi quando eu lancei a campanha #namorese, e as pessoas começaram a me dizer que eu era uma inspiração. Virou um projeto maior, de valorização da vida e resgate da autoestima, com muitas mulheres. Mudou a minha vida.

Relação médico-paciente

A força para enfrentar o câncer de mama está dentro do próprio paciente, nos amigos e familiares, nas atividades e interesses e também na equipe médica. Confiar nos profissionais que o acompanham é fator-chave para um tratamento tranquilo e com maior qualidade.

Fonte: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/relacaomedicopaciente/6244/805/#:~:text=Import%C3%A2ncia%20da%20Rela%C3%A7%C3%A3o%20M%C3%A9dico%2DPaciente%20no%20Tratamento%20do%20C%C3%A2ncer%20de%20Mama%20Avan%C3%A7ado,Ver%20conte%C3%BAdo%20relacionado&text=Receber%20o%20diagn%C3%B3stico%20de%20c%C3%A2ncer,for%C3%A7as%20para%20enfrentar%20a%20doen%C3%A7a